segunda-feira, 6 de agosto de 2012

#40


Adeus

Para aquela borboleta que voa livre
Pois não quero mais me importar
Com estas belas asas a bater
Mesmo sendo tão apaixonantes

Hora de abrir as mãos
Para que nossos dias sejam melhores
Para que tais asas saibam encontrar a liberdade

Nossa liberdade...

Acordes, notas e um pouco de paz
Para esta pobre alma que deseja felicidade
E uma certa suavidade no viver

Ver coisas que só nós vemos
E esperar que outros
Sejam atentos ou sensiveis

Ler, ouvir e não compreender...

Pois amores estão a deríva
O ar não tem mais importância
E os meus sorrisos sem os seus
Só perdem o brilho

Talvez...

Por deixar ser livre
E por tal liberdade tirar meus ânimos
E por sua vez a minha paz

Mas só são pensamentos
Que vão e vem
E que dizem ao meu respeito

Ao nosso...

De outros...

Seu...

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

#39


Essa noite...

Os seus olhos me disseram
Com tamanha sinceridade
Que o amor está além daquilo que podemos

Vejo que nossas vidas
Carregam a grande responsabilidade
Que é a de nos fazer  felizes

E quem disse que a culpa seria nossa
Por amarmos demais um ao outro
E logo desejar a felicidade

O que mais poderia querer da vida
Se não estar ao lado da pessoa
Daqueles sonhos que por muitas vezes

Se repetiam e se repetiam...

Quem pode explicar
A felicidade que nos toma
Quando o amor diz mais alto
Seja aos ouvidos ou corações?

Quem pode se atrever a entender
A felicidade a se mostrar
Nua e viva aos olhos de quem crê?

E por que se conter
Quando isso já é real em nossas vidas

Prefiro sorrir
E ser feliz com o perfume dos seus cabelos
A pensar que pode dar errado

Afinal...

A quem preciso ouvir
Se não meu coração
E a verdadeira vontade de estar aqui

Bem ao seu lado?

Experimente

Loading...