terça-feira, 29 de abril de 2014

#74

Parece que estamos no mundo da lua

Esquecemos do tempo
Esquecemos do verbo
Esquecemos de nós

Nós  não permitimos
A nossa passagem para o outro lado
Para viver outra vida

Vida sem graça
Esquecida e sem cansada
De poucas histórias

Poucos amores

Com muito a dizer
E ainda sim
Com mais a se ouvir

De lembranças que muitas vezes
Encontram-se bem escondidas
De baixo da pele

Fina, frágil, sensível
Sem qualquer experiência de vida
Sem graça, cansada...

De poucas histórias

Que se repetem com o dia a dia
Sem muitas novidades
De muitas surpresas

Mexendo com caminhos
Aguardando o momento para acontecer
E assim enlouquecer

Por amores, louvores, sorrisos
Por coisas que realmente...
Nos fazem mover

Que comove à cada um
Que por um pouco de paz
Se mantém guardado em si

Sem se esvair.

sábado, 1 de março de 2014

#73

Um brinde à juventude

Aos bons tempos que esteve ao meu lado
Por me fazer feliz, por me permitir
E pelo ânimo nos dias de sol

Também pelos dias chuvosos
Em que não sentia medo da chuva
Ou de raios

Já não decifro mais
Tudo aquilo que se encontra a frente
O que realmente importa parece ter passado

Quando estava distante de todos

Horas perdidas e horas ganhas
Só por pensar
Dentro do mundo só meu

Se importava ou não
Só eu sei e só eu vivi
Ou melhor, pensei, sonhei

O que posso dizer!?
Valeu cada minuto, cada segundo
Dando importância ao que importou

Enquanto todos estavam longe

Não mais importa
Aquele sorriso que não sorri mais
Pois este se foi por tantas vezes...

Lembro bem de cada momento
De cada dia de escuridão
De cada barulho do silêncio

Uma pena que tenha vivido o mesmo
E não tenha aprendido nada
Sabe lá Deus

Que o egoísmo é mais em mais

Mais para vocês
Mais para ninguém
Mais para todos nós

Já me perguntei por tantas vezes
...importância besta
Dada por mim para mim

Talvez amar as estrelas
Não me faça tão bem
Afinal...elas nunca foram...

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

#72

É o fim de mais túnel

Sem possibilidades de voltar atrás
De pausar o relógio
E de desistir de suas vidas

Não que você tenha mais de uma
Mas significa que pessoas ao seu redor
Com certeza acreditam em você

Por aquilo que és
Mesmo que só em essência
Ou por alguma lembrança

Não há do que temer se não de si

Se tiver de correr corra,
Mas não fuja do está à sua volta
Você vale bem mais que imagina

Voe se tiver de voar
Agarre oque tiver de agarrar
Mas pense, pois é preciso pensar

Nada cai dos céus
Nada se vai por acaso
E nem surge do além

Então cabe a nós saber oque
Realmente importa por aqui
Perto de nós

Bem perto de nós...

Talvez um pouco do amor
Que escorre por entre nossos dedos
E vai direto ao chão

Que valor tem este
Se poucas pessoas se importam
Ou se poucos apenas não se importam

Fugir de si
Nada mais é do que negar esse amor
Amor que te mantém de pé
Que fortalece a nossa base

Que perde valor a cada dia
Horas...
Minutos...
…Vida.

Experimente

Loading...