sábado, 26 de março de 2016

#85

Feliz por pouco

Pelo pouco que me sobra
E pelo muito que existe
Dentro deste baú

Baú de coisas que mal conheço
Das coisas que tenho
E simplesmente não  esqueço

Daquele pouco que se faz
Se refaz e vivo permance
E que na verdade nunca morre

A felicidade que nunca morre

Que se conhece pelas beiradas
E que ao ser falada se retrai,
Mas que quando é  sentida
Perdura até morrer

Felicidade

Essa ambém nos gera marcas
Marcas que se traduzem aos sorrisos mais belos
Que não  precisam ser escondidos de ninguém

Que madura com a gente
E só  melhora com o passar do tempo,
Dos anos

7 anos
E hoje são  quase 30
Daqueles que ainda me recordo

São  tantas histórias,
Tantos conselhos recebidos,
Que nem lembro quais acatei

Mas aqueles que não...

Acaba que é  tão  tarde
Que já  não  fazem diferença
Mas não  fizeram os sorrisos maduros caírem nos pés.

terça-feira, 22 de março de 2016

#84

Não  acredite no que lê

Tudo não passa de sentimentalismo barato e de um pouco de vontade de ser sincero
De mim pra mim
Não há impedimentos em ser feliz deste jeito
Olhando o mar ao seu lado
Admirando o mundo ao seu jeito
Construo alguns degraus para estar sempre um pouco mais perto daquilo que quer dizer,
Perto do que quer que eu ouça
Volto a falar o suficiente
Me perco em infinitos olhares
Que estão virados na mesma direção
Do sol para você
Da lua para você
Do eu para você
Há tantas cores a sua volta
Encontro sempre um pouco mais de vida por aí
E bem mais daquilo que o tempo me fez desconhecer
...
Não sei oque pensar
Muito menos como me atirar
Menos ainda como me recolher
Recolher pedaços  daquilo que foi Quebrado por descuido e mera
Insensatez
Talvez insensatez nas palavras
Ou no próprio jeito de caminhar
Que nem sempre se mantém correto ou agrada
...
O sentimento agora é de distância
De falta de tato
Algo como desespero que atiça a alma daquele que sempre esteve quieto
Incontrolável mão...
Que fala mais do que deveria,  que entrega o segredo só para não ficar do mesmo jeito.
Por favor, me exploda
Não espere e seja sincera com você
Não se poupe
Leve com você oque já estava em suas mãos e não pense
Não releve ou não revele a ninguém
Suas feridas secretas.



sábado, 19 de março de 2016

#83

Da melodia que não deixa morrer
E dizer ao mar e as eternas estrelas
Que um dia a mais aqui
Tem sido por que amo

Amo o amor que dói
Que tira mais de um pedaço de mim
Corroendo de dentro para fora,
De fora para dentro

Arremesso para fora aquilo que se mantém
Em grandes espaços do íntimo que existe
Porém, não vos rogo a ninguém

Arde, queima, tonteia a paz existente
Mexe com o inconsciente e muda oque somos
Paixão...Amor...Dor...Mais amor

Componentes que nos faz humanos
Mais humanos, mais humildes, mais perdidos
Mais estúpidos

Ouço o que me apraz
Não me importo com o não amor,
Só me importo com o meu amor

Um dia de cada vez...
Um mês, um ano... dez anos

Não... não está vazio
Não, eu não estou vazio
Sim, existe mais de você do que você imagina

Crimes que cometemos contra nós mesmos
E esquecemos de apagar de nossa memória

...Não importo...

O tempo passa, o tempo pesa,
Os ombros não querem aguentar
A mente, mente para si mesma.

Não precisa juízes para ser julgada
Basta que ela exista e minta para si só
"Sooh..."

O amor é estranho
Destrói e reconstrói
Tudo aquilo eram sobras algum dia

Ele cria, recria
Dá razão, tira razão
Nos faz sorrir, nos faz chorar
Nos faz correr, nos gritar, nos faz esquecer e respirar.

#82


Definitivamente,
Não podemos salvar todas as coisas que amamos...

Palavras que nos fazem refletir em como tudo pode ser melhor ou pior
Se não soubermos lhe dar.
Seja uma boa amizade, ou a confiança que alguém possui em nós
 - E que pode escapar de seu controle

Deixamos tantas coisas passarem
Como uma ajuda esperada e desejada,
Ou uma simples palavra que faz toda a diferença

Tentamos ser perfeitos na maioria das vezes
Acabamos criando personagens que acabam dizendo
muitos mais de nós através de nossas atos
- Nós falhamos

Um erro atrás de outro erro,
Uma palavra após a outra
Que entrega a fio o mais verdadeiro "eu"

Consumidos por nossas eternas vontades
Que se tornam reais e se recriam
Como a forma de viver mais intensa

Viver personagens que não existem
Que nos tornam desprendidos também daquilo
que desejamos para nós mesmos

As vezes tenho a certeza de que aquilo que escolhemos
Não nos diz tanto quanto deveria
E com isso começamos a busca por novos caminhos

Mas que caminhos são estes
Se não conhecemos a nós
Nem os outros a nossa volta?

Não dá para enfrentar toda vontade contrária do mundo

Somos fortes, mas sabemos ser fracos
Sabemos baixar as nossas cabeças
Sabemos respeitar um furacão
Sabemos baixar também as nossas guardas

Furacões não dão sua vez para coração para a razão
Eles fazem sua vontade imperar sobre qualquer vontade
E qualquer premissa que não seja sua
É devastada pela sua força

Qualquer amor que não seja o seu se dezfaz...







quinta-feira, 17 de março de 2016

#81

Venta muito lá  fora

Não  estamos preparados para tanto
O tanto, por mais engraçado que seja
É  muito e ainda sim patético

Milhares de desenhos, rabiscos mal feitos 
E milhões  de palavras escritas em lugares até  inusitados
Dizem bem mais do que deveríamos saber

Talvez muito se resuma em paciência
Ou realmente  não  signifique nada.
Nada é  tão  claro como deveria

Olho para fora de novo
E percebo que não  venta tanto
Ou será  que sou eu que não  quero ver mais?

Em algumas vezes a ignorância acaba por nos salvar daquela relativa ideia de que tudo precisa ser lógico

O amor por sua vez nos mostra tanto o contrário
A paixão mais ainda te tira dos trilhos
E a lógica nos tira, nos arranca tudo isso.

Não a culpo, pois alguém deve ser são nessa história
Eu até  que gostaria, mas me desculpe a lógica,
A paixão e qualquer  sentimento que se aproxima  disso...

Sempre me encontro mais sonhador
Mais distante da lógica
E muito menos sábio, acredito

É inexplicável o fogo que se acende
Quando todos esses sentimentos tomam conta de nós e trazem vontade de viver.

Viver do jeito que queremos,
Respirar como nunca respiramos,
Mostrar nossas dádivas  e talentos de uma só vez

Se encher de si antes que tudo isso se vá
E desapareça  sem que tenhamos aproveitado o bastante
Seja pela lógica ,  ou apenas para mostrar que lógica nem sempre é tão lógica

Não para mim.

quarta-feira, 16 de março de 2016

#80

A alma respira do lado de fora

Ela enxergar como nunca tudo aquilo que nunca conseguiu enxergar
Sente a chuva de forma viva e consciente
E não  se importa com o pesar do tempo

A alma dança como uma bailarina

Sem limites daquilo que se quer alcançar, sem correntes que possam lhe segurar e com a certeza de que a dor não  é  tão  importante quanto a vontade de alcançar

Seja lá  o que for...
Alma não  se prende a mente

Se encontra  livre para poder sentir oque quer
Seja o prazer o mais forte ou uma simples sensação
Aquela na qual você  consegue  se perder

Não é possível explicar com poucas palavras
É  impossível ditar em poucas letras
Mas as vezes...um simples espasmo nos alivía de um turbilhão de sentimentos

Estes mesmo que ficam agarrados na garganta ou entranhados nas paredes internas de cada um

E é aí que a alma foge

Porque o corpo não  dá conta de suas expressões
É  limitado e afobado
Então,  a alma termina sufocada com muito de si

Não é apenas sobre um ser humano
Não...
É sobre se permitir a viver um pouco daquilo que a alma realmente  deseja

É  sobre sorrir simplesmente por querer sorrir
Chorar quando se quer chorar
Sem a pressão que o mundo nos oferece diariamente

Afinal...

Ainda somos livres.

Experimente

Loading...