sábado, 19 de março de 2016

#83

Da melodia que não deixa morrer
E dizer ao mar e as eternas estrelas
Que um dia a mais aqui
Tem sido por que amo

Amo o amor que dói
Que tira mais de um pedaço de mim
Corroendo de dentro para fora,
De fora para dentro

Arremesso para fora aquilo que se mantém
Em grandes espaços do íntimo que existe
Porém, não vos rogo a ninguém

Arde, queima, tonteia a paz existente
Mexe com o inconsciente e muda oque somos
Paixão...Amor...Dor...Mais amor

Componentes que nos faz humanos
Mais humanos, mais humildes, mais perdidos
Mais estúpidos

Ouço o que me apraz
Não me importo com o não amor,
Só me importo com o meu amor

Um dia de cada vez...
Um mês, um ano... dez anos

Não... não está vazio
Não, eu não estou vazio
Sim, existe mais de você do que você imagina

Crimes que cometemos contra nós mesmos
E esquecemos de apagar de nossa memória

...Não importo...

O tempo passa, o tempo pesa,
Os ombros não querem aguentar
A mente, mente para si mesma.

Não precisa juízes para ser julgada
Basta que ela exista e minta para si só
"Sooh..."

O amor é estranho
Destrói e reconstrói
Tudo aquilo eram sobras algum dia

Ele cria, recria
Dá razão, tira razão
Nos faz sorrir, nos faz chorar
Nos faz correr, nos gritar, nos faz esquecer e respirar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Experimente

Loading...